24/03/2017

Escrever diferente por Wibaju

 
Histórinha da Escrita

É possível escrever sem usar os artigos ‘o’ e ‘a’ e sem as palavras: acho, como e para? (abomináveis, por sinal). --Vamos tentar?


Quando Cabral descobriu uma terra que apelidou de Brasil, não chovia, nem ventava, fazia uma calmaria danada, escreveu Pero Vaz de Caminha.
Mas será que ele descobriu mesmo?
-- Creio que não!
Duvido porque na tal Terra Brasilis, batizada Pindorama pelos nativos que aqui habitavam, os ameríndios se encontravam aos milhões por todo continente povoado do Novo Mundo, há mais de 10 mil anos atrás.
Outra contradição, nesta história de descobrir nosso Brasil em 1500, é chamada de Tratado de Tordesilhas, assinado entre Espanha e Portugal em 1494. Um tratado antes da descoberta. Pode?
Na realidade tudo nos faz acreditar que Cabral veio com 10 caravelas, que não enfrentaram chuva nem calmaria alguma, justamente buscar e carregar toneladas de pau-brasil, na época muito usado na China em tinturas de tecidos, primordialmente na seda.
Esse tal descobrimento foi desculpa portuguesa no sentido de explorar, fartamente, essa madeira cor de brasa com fins comerciais, movidos pela ganância e crença no enriquecimento rápido sem custo na aquisição da preciosa matéria prima, então abundante e de graça na Mata Atlântica de Pindorama (terra de muitas palmeiras).
Em resumo, o Brasil é explorado por estrangeiros desde 1500, nada diferente do que ocorre até hoje. Esse país pacato, hospitaleiro, assaltado por tantos outros povos de vários países, continua sendo roubado na sua madeira, fauna, pedras preciosas e todo tipo de riqueza natural, além da raça insaciável dos gatos e ratos de porão proliferantes no Mensalão, no Petrolão e coisa e coisa, num poço de roubalheiras sem fundo e sem fim.

--Agora vamos conferir o texto e verificarmos se usamos as palavras citadas acima.

-- Pelo visto é possível, sim, escrevermos sem utiliza-las. Não encontrei nenhuma, viu?!




Wille Bathke Jr