20/03/2017

Campo Mourão: Fala Horácio Amaral*


“Nossa vida, embora cheia de revezes e vitórias tem, graças a Deus, decorrido normalmente sem qualquer acontecimento que possa merecer algum destaque. Somos formado pela Faculdade de Direito da Universidade Federal do Paraná. O primário fizemos na minha cidade natal (Mallet), no Grupo Escolar Dario Vellozo e, desta forma, sempre nos lembramos eternecidos pela saudade, principalmente dos primeiros mestres que tivemos. Após concluído o primário fomos alunos no Seminário São Vicente de Paula (Irati - PR) por menos de um ano. Em 1943 iniciamos o curso ginasial no Colégio Regente Feijó (Ponta Grossa – PR). Em 1946 nos transferimos para Curitiba onde continuamos os estudos no Colégio Estadual do Paraná. Cursamos o Clássico, hoje chamado de Colegial. Posteriormente enfrentamos o famigerado Vestibular na Faculdade de Direito e dissemos o Ego promito!! em 1954. Devo esclarecer... que embora sempre tivéssemos o apoio e o auxílio do meu querido e saudoso pai (Ângelo Amaral), levei sempre vida de estudante pobre, como soe acontecer com a maioria dos estudantes da atualidade, que enfrentam serias dificuldades para prosseguir nos estudos. Tanto isto é verdade que de 1943 a 1954, trabalhei em várias atividades, tais como: balconista, ferroviário, bancário, professor e viajante (caixeiro) comercial. Como balconista tive a felicidade de ter como patrão um dos industriais mais categorizados de nossa cidade (Campo Mourão), o senhor Delcides Constantino Miguel, na época, proprietário de um dos maiores armazéns de secos e molhados, o tradicional Armazém da Ordem, situado na Praça (Largo) da Ordem, em Curitiba. Quando cursávamos o último ano de Direito e já de posse da carteira de Solicitador Acadêmico (advogado não formado) prestei exame de suficiência e fui nomeado como professor no Ginásio Estadual de Assai. Naquela cidade cheguei não só como professor mas também como advogado. No Município de Assai fui eleito Vereador, tendo sido presidente da Câmara Municipal durante todo o mandato, isto é, por quatro anos. Exerci também o cargo de Prefeito Municipal de Assai, pois naquela época inexistia o cargo de Vice-Prefeito. Felizmente podemos dizer, sem qualquer pretensão, que nossa passagem pelo Executivo Assaiense foi marcada por muitas realizações de ordem administrativa”, concluiu Horácio Amaral.

Depoimento ao Jornal Tribuna do Interior, em 03 de Junho de 1973 - na coluna Lideranças & Comunidade - Autor: *Joani Teixeira.


Depois de cumprir seu mandato de prefeito de Campo Mourão e realizar uma profícua gestão municipal, Horário Amaral estava candidato a deputado estadual quando sofreu acidente automobilístico na BR-158 - que leva seu nome - nas proximidades do Horto Municipal de Campo Mourão.

Santinho – No verso do seu “santinho” de campanha a deputado estadual lê-se:

AFIRMAÇÃO PELO VOTO
A nossa candidatura surgiu pelo propósito que temos de lutar por um programa de realizações mais justas e humanas. Reafirmamos a nossa fé no regime democrático e nas tradições cristãs da nossa gente. Anima-nos a idéia de atuar em todos os setores e situações em prol do desenvolvimento do Paraná e do bem-estar social da nossa gente.
Honre-nos com seu voto, para que possamos concretizar estes objetivos.
          Com um abraço do amigo


           – Horácio Amaral”.