13/06/2015

Eliseu, Bispo em Campo Mourão - PR

   

  

1915, dia 18 de maio, nasceu Eliseu Simões Mendes, em Coração de Maria, região metropolitana de Feira de Santana (BA). Filho de Ângelo Mendes da Silva e Elisa Simões Silva.
1938, foi ordenado sacerdote na Catedral Basílica de  Salvador (BA), em 4 de dezembro. Seu nome é uma homenagem à sua veneranda mãe, que também está dado à casa onde nasceu e morou até os 9 anos de idade.
1939,10 de fevereiro, passou a padre capelão da Igreja da Adoração Perpétua, onde permaneceu até dezembro de 1944.
1940 a 1950, foi secretário-geral do Arcebispado do Estado da Bahia, função acumulada com o cargo de tesoureiro da Mitra Arquidiocesana soteropolitana.
1950, dia 3 de dezembro, foi sagrado Bispo.
1950/1953, ocupou a função de Bispo auxiliar de Fortaleza (CE), na paróquia de Santo Afonso, Parquelândia,  onde o titular era Dom  Antonio de Almeida Lustosa.
Foi Assistente Eclesiástico da Ação Católica, no Setor Arquidiocesano da Juventude. Dedicou-se a promover concursos culturais e a realizar obras sociais na capital baiana, onde ajudou a fundar a Orquestra Sinfônica da Bahia.
Foi Capelão e Diretor da Obra do Bom Pastor voltada à recuperação de jovens e mulheres transviadas.
Foi diretor espiritual de dois noviciados de religiosas e se empenhou na obra das vocações sacerdotais.
1949, ano do 4º Centenário da Bahia, realizaram-se em Salvador vários congressos eucarísticos em comemoração do evento histórico. Entre essas realizações religiosas merece destaque o “1º Congresso Nacional de Vocações” do qual, Dom Eliseu, foi o principal promotor e secretário-geral.
1950, em agosto, organizou peregrinações a Roma, motivado pelo Ano Santo da Igreja Católica e, nessa viagem, no Vaticano, foi nomeado Bispo Auxiliar de Fortaleza (CE).
1950, 3 de dezembro, foi Sagrado Bispo na Catedral de Salvador, isso aos 12 anos de sacerdócio e 35 de idade.
1951, abril, Dom Eliseu chegou a Fortaleza(CE) com o cargo de auxiliar do arcebispo metropolitano, Dom Antonio de Almeida Lustosa, onde permaneceu por três anos.
 
Antes de Campo Mourão atuou em Mossoró

1953, foi Bispo de Mossoró (RN), na diocese de Sta Luzia, cargo exercido até sua transferência para o bispado de Campo Mourão (PR).
1959, 17 de outubro, deu-se oficialmente a sua nomeação de bispo de Campo Mourão, e dia 30 de outubro do mesmo ano, soube da sua transferência para a nova diocese na paróquia de São José.

1960, março, deixou Mossoró (RN) e providenciou sua mudança para Campo Mourão (PR). Precisamente, aportou em Campo Mourão dia 23 de abril de 
1960 e passou a corresponder plenamente, pela pastoral da nova diocese, sob o lema “Salus Gregis”.

1960, 23 de abril, foi empossado oficialmente, em cerimônia aberta, na frente da Catedral que estava nos alicerces e algumas paredes levantadas sobre a igreja matriz de São José, toda de madeira, a exemplo da primeira Casa Episcopal onde morou.
1980, quando renunciou, a Catedral e a Curia Diocesana estavam plenamente concluídas.
2001, dia 2 de março, Dom Eliseu faleceu em sua terra natal vítima de dolorosa enfermidade.  
2014, 18 de maio, Dom Francisco Javier Delvalle Paredes, bispo atual, presidiu missa na Catedral São José durante a qual apresentou a carta pastoral ‘Salus Gregis’, que abriu o ano do centenário de nascimento de dom Eliseu Simões Mendes, bispo em Campo Mourão de  1960 a 1980.

2014, 23 de maio, sepultado Dom Eliseu, na Catedral São José, ao lado do segundo bispo diocesano, Dom Virgilio de Pauli.



Álbum de D. Eliseu Simões Mendes

 

  

  

 

  
 


 

 

 

 

 
Atrás de D. Eliseu as professoras Veroni Ramos  e Eroni M.  Ribas 

  
Inauguração da Prefeitura de Campo Mourão
Ao fundo fachada da Livraria Roma, casa do médico José Carlos Ferreira e a Santa Casa

 
Benção do Crucifixo no gabinete do prefeito de Campo Mourão