11/05/2011

Expresso Oeste de Campo Mourão - História de Amor





Viagem Difícil e a Baldeação por Amor

Campo Mourão - Nessa casa era a garagem, mostra Joaquim

Garagem - "Nossa garagem era no quintal da nossa casa, bem ali onde está o Edifício Alvorada (Índio Bandeira/Rua Brasil) que depois vendemos ao pai do Osvaldo Wronski e esse instalou uma pequena farmácia de madeira, depois em alvenaria e hoje é a grande e tradicional Farmácia América na esquina em frente.


Fróta - Começamos com dois micro-ônibus Ford (jardineiras) e depois compramos um Ford-F5 que cabia 20 pessoas. Às 6hs em ponto, uma vinha de Pitanga e a outra partia de Campo Mourão. Cabiam  quase 15 passageiros e sempre lotava, conta Joaquim Xavier do Rego que, com seu irmão Aristóteles (Tóte) eram os motoristas do Expresso do Oeste de Elias Xavier do Rego.


Estrada Campo Mourão/Roncador (BR-158). 
"Nesse chão passamos milhares de vezes" recorda Joaquim Xavier do Rego

Perigos - O pior trecho da estrada (BR-158) era o da Serra do Mosquiteiro. Subidas e decidas fortes, pedras soltas, derrapava de traseira, demais; curvas em cotovelo (muito fechadas). Quando chovia colocávamos correntes nos pneus e, nos trechos mais difíceis, onde o ônibus atolava, os passageiros desciam e ajudam a empurrar.

 
Por volta do meio-dia, na Serra dos Macacos, Joaquim e Tóte se encontravam e paravam. 'Fazíamos uma refeição a base de pão, sardinha de lata, cebola e cerveja quente.'

Québras - "Tinha outros contra tempos - recorda Joaquim. Quando acontecia do ônibus quebrar na estrada, ficava ali parado até a gente ir à Guarapuava ou Ponta Grossa comprar as peças. Voltava, trocava e punha o carro a funcionar. Isso demorava só uns dois a cinco dias." rindo. 


A Baldeação

"Almoçávamos e fazíamos a baldeação. Eu entrava no ônibus do saudoso mano Tóte e ele no meu. Nos nossos! -Eu voltava a Pitanga e o Tóte a Campo Mourão. É que o Tóte estava recém casado com a Olívia, ambos apaixonados, e ele me propôs essa baldeação a fim de ficar mais junto da esposa e não deixá-la sozinha no Campo. Na verdade, a baldeação, é uma bela história de amor!’, concluiu Joaquim Xavier do Rego, casado com Adalbrair Albuquerque.

"Nossa história de amor foi meio complicada, mas é bonita também. Um dia te conto", prometeu Adalbrair.