11/05/2011

O Burrão 'Rouba-Moça' de Campo Mourão



Burro Rouba-Moça dos Albuquerque

Adalbrair Albuquerque tri-rainha dos Carnavais (51, 52 e 53) de Campo Mourão. O primeiro Rei Momo foi o advogado Nelson Bittencourt Prado e ela a primeira Rainha

“Meu pai (Francisco Ferreira Albuquerque) tinha um burrão preto marchador, de fazer inveja. Gostava demais do picasso. Mas se viu no dever de vender o burro porque estava a serviço de ladrão de mulher”, conta Adalbrair, rindo.

“Eu explico: meu irmão Tito gostava da Maria, mas os pais dela eram contra o namoro, pior ainda casar. Então, certo dia o Tito combinou com a Maria, fugirem e casarem fora. Trato feito. De noitão, o Tito encilhou o burro, não avisou ninguém e ninguém o viu sair. Foi, roubou a Maria e casaram. Foram morar na venda da Lagoa Seca (armazém de beira de estrada) do meu pai, ali perto de Peabiru”, detalhou.

“Até aí tudo mais ou menos, mas acontece que uns meses depois, o meu irmão Newton estava apaixonado pela Rosinha Perdoncini, e seu João Bapista – o italiano – pai dela, não queria de jeito nenhum. Então fizeram a mesma coisa. Combinaram fugir na calada da noite e voltar casados.”

“O detalhe curioso é que o Newton usou o mesmo burro preto de estimação do pai. Essa noite chovia, vestiu a capa de boiadeiro. Foi e roubou a Rosinha. Voltaram, dias depois, casados na forma da lei, igual o Tito.”

O Burro pagou o pato
 “Foi aí que meu pai invocou. Apesar da estima pela excelente montaria, que era o burro picasso marchador, vendeu o animal sem pestanejar, e quando lhe perguntaram o por quê disso? -Ele respondeu na lata: Vendi porque não tá certo o que o Tito e o Newton fizeram. Agora filho meu não vai mais roubar moças pra se casar, ainda mais filhas dos meus amigos e compadres!!! E, arrematou Adalbrair: “Tadinho do burrão. Pagou o pato!”