30/05/2016

Campo Mourão>Sete Quedas>rota do Pe abe y u


Também Conhecida por Salto Guaíra

 
Mapa do domínio espanhol no Paraná

A Província del Guairá, fundada pelos espanhóis em 1557, com capital em Assuncion del Paraguay, abrangia todo oeste, centro-oeste e cerca da metade do Estado do Paraná. A Ciudad Real (Guaíra/PR) foi construída e fortificada com o fito de impedir o avanço dos portugueses pelo Pe abe yu ou pelo caudaloso Rio Paraná. Acabou saqueada e destruída pelos bandeirantes paulistas, em 1631.

 
O milenar caminho pré-colombiano, natural, tinha dois troncos principais, oriundos dos litorais de São Paulo (Cananéia) e de Santa Catarina (litoral de Florianópolis) que se unificavam nos campos gerais do Paraná. Daí em diante o caminho (trilha) cruzava a região do cerrado de Campo Mourão e seguia até Guaíra; atravessava Sete Quedas em direção a Assuncion; passava próximo a Potosi e chegava a Cusco - capital do Império Inca - mais exatamente nos contrafortes das Cordilheiras dos Andes.

 
No meio do Caminho, entre Brasil e Paraguai, estava o Salto das Sete Quedas que concorria, turisticamente, com as Cataratas do Iguaçu em beleza, atrativos incríveis e admiráveis desafios da natureza aos visitantes do Brasil e do Mundo, com suas longas e estreitas pontes penseis sobre os vãos abismais dos saltos; das abruptas quedas e ágeis corredeiras de água volumosa. 
 
Clic nas fotos e amplie 

O espetáculo natural, esculpido pela natureza, desapareceu. Foi encoberto por milhões  de metros cúbicos de água, represada do Rio Paraná, que forma o grande lago e move as gigantescas turbinas da monumental binacional Hidrelétrica de Itaipu. 

 
Salto das Sete Quedas, também chamado Salto Guaíra, tinha 18 cachoeiras imensas em um curso estreito do Rio Paraná. Formava um traiçoeiro desfiladeiro, no qual gente caiu e dezenas morreram. Antes da inundação milhares de turistas visitaram o Parque Nacional de Sete Quedas e apreciaram aquela maravilha pela última vez. 

 
1982 - Essa ponte caiu com 38 pessoas em cima

Tragédia - Dia 17 de Janeiro de 1982, quando muitos turistas entusiasmados atravessavam uma ponte pênsil suspensa, ela não resistiu ao excesso de peso e arrebentaram-se os seus enferrujados cabos de aço. A queda inesperada matou 32 pessoas afogadas. Seis sobreviveram, salvas por João Mandi, um destemido pescador da região.

 
Uma semana antes, com minha família, visitamos os saltos e atravessamos a tal ponte. Foi quando, no seu final, conhecemos o índio ipixuna, Pedemar Maraguara Porã que, anos mais tarde, foi meu hospede e proferiu palestras em escolas de Campo Mourão. Discorreu sobre usos e costumes dos povos nativos da Amazônia e se revelou intransigente defensor da Natureza. Ele era um dos responsáveis pela segurança e morava no Parque Estadual de Sete Quedas. Chegou a ser acusado, preso e responsabilizado pelo acidente da ponte caída, mas provou que era inocente.

 
Triste relato do índio Pedemar


Galeria de Fotos

 
Mapa rodoviário de Sete Quedas

  

 
Salto 13 das Sete Quedas de Guaíra/PR
 
Ponte Wenceslau Braz, Salto 16 - Sete Quedas
 
Salto 17 das Sete Quedas
 
 
   
 
 
Mirante
 
 
 
 
 
 
 

PAZ