31/01/2015

FOTOCRONOLOGIA de Campo Mourão - PR

Vídeo editado por Carlos Henrique Bathke

Assim nasceu Campo Mourão:

1630 - Sob domínio espanhol, a partir de 1630, a região dos Campos de Coaracyberá (Cerrado Mourãoense) era o ponto referencial da Província Del Guayrá e sede da Nação Guarani servida por trilhas do Pê abê y u (Peaberu) pelo qual os indígenas transitavam e, posteriormente, guiavam os exploradores europeus em suas buscas pelas riquezas dos sertões sul-americanos. 
Quando da invasão das levas de aventureiros e catequizadores jesuítas, estima-se que a região era habitada por cerca de 250 mil nativos que dominavam o território entre os rios Paranapanema, Iguaçu, Tibagi e Paraná, região onde surgiram as primeiras vilas e reduções religiosas na Província del Guayrá que abrangia Campo Mourão e parte do Estado do Paraná.


  
Mapa das vilas e reduções espanholas 
na região de Campo Mourão

1524, têm-se notícias que o náufrago português Aleixo Garcia, em companhia de dois companheiros marujos e um exército de quase 2000 índios flecheiros da tribo Cariós (Carijós) oriundos da Praia dos Naufragados – SC, cruzaram a região dos Campos em busca da Montanha do Sol e atingiram Cuzco (Capital do Império Inca) de onde retornaram com 25 quilos de artefatos de ouro. Na volta, a expedição foi dizimada pelos índios Paiaguás e dentre os chacinados tombou Garcia, proximidades da Vila São Pedro no local conhecido por Garcia Corá (lugar de Garcia).

1541, pelo mesmo caminho de Garcia passou pela região a milícia de Alvar Nuñes Cabeza de Vaca, designado “adelantado” (comandante militar) do reino de Espanha do Paraguai com a primordial missão de dominar o Rio Paraná e impedir os avanços portugueses além da linha imaginária do Tratado de Tordesilhas (assinado em 1493).

  
Caminhos que cortavam o Paraná e Campo Mourão.

Com esta determinação administrou Assunción e a Província Del Guayrá (Oeste, Centro-Oeste e Noroeste do Estado do Paraná) onde foram fundadas mais de uma dezena de vilas e missões jesuíticas espanholas, a partir de Ontiveros (Foz do Iguaçu), Ciudad Real (Guaíra) e Vila Rica del Espírictu Sanctu (Fênix).

D. Luiz governou a Província (1765-1775) e deram seu nome a Campo Mourão

1632, com a invasão dos bandeirantes portugueses que saquearam e destruíram as vilas e missões; mataram e expulsaram milhares de espanhóis e índios catequizados para além do Rio Paraná, alargaram-se as fronteiras do Brasil e aumentou a preocupação do rei de Portugal, Dom José, em manter estes limites, quando então o governante da Província de Piratininga (com sede na Vila de São Paulo), Dom Luiz Antônio de Souza Botelho Mourão (1765/1775) ordenou que tropas sediadas em Vila de Nossa Senhora da Luz dos Pinhais (Curitiba - 5a Comarca de São Paulo) comandadas pelo Capitão-Mor Afonso Botelho de Sampaio e Souza (primo do governador Dom Luiz) percorressem os sertões além do rio Tibagi até as barrancas do rio Paraná a fim de verificar se não havia invasão de castelhanos e paraguaios em território paranaense. Determinou ainda, que nestas expedições militares, pelo imenso território desconhecido de terras devolutas, fossem dados nomes de pessoas importantes da família Mourão aos rios e acidentes geográficos. Foi assim que em 1765, os comandantes da primeira expedição composta por 75 homens, capitão Estevão Ribeiro Baião e Francisco Lopes da Silva, deram ao magnífico Cerrado Mourãoense o nome de Campos do Mourão, homenagem ao governador da Província de Piratininga (São Paulo).

 
1908, Campo Mourão começou a aparecer nos mapas do Estado do Paraná no início de 1900, mais exatamente a partir de 16 de Setembro de 1903, após a chegada da caravana paulista que partiu de Ilha Grande - SP, a cavalo e carros-de-bois, encabeçada pelo sertanejo Jozé Luís Pereira, sua mãe e irmãos, com destino a Guarapuava, depois Pitanga e Campos do Mourão. Foram eles que construíram as primeiras taperas, de madeira tosca e chão batido nas beiras direita e esquerda (Campinho) do Ribeirão 119, fundão do Jardim Santa Cruz e, mais acima, o cruzeiro de cedro e a capela de Santa Cruz, de pau-a-pique.

 
1903, dia 16 de setembro, chegou a Família Pereira em Campo Mourão numa caravana em carros-de-bois e a cavalo, com 11 pessoas.

   
1908 - A família de José Custódio de Oliveira, chegou por volta de 1910, oriunda do interior de São Paulo, a fim de cultivar café e se arranchou em terra devoluta à margem direita do Rio do Campo, na região conhecida como Barreiro das Frutas e Rio da Várzea, naquela época conhecida por Campina dos Teodoro.

 

1939 - Neste ano foram construídas as primeiras casas, todas em madeira, em volta do Bosque das Copaíbas e da futura praça, marco zero de Campo Mourão.
 

1940 - Na praça central de Campo Mourão tinha: a Raia dos Purungos, Bosque das Copaíbas e apenas duas meias avenidas: Índio Bandeira e Irmãos Pereira, entre as ruas Brasil e Araruna. Ao lado direito do Bosque está o Colégio Santa Cruz e as casas que aparecem eram a residência e armazém de secos e molhados da família Albuquerque.

1945 - ouvia-se o martelar dos carpinteiros, dia e noite, construindo casas em Campo Mourão.

A cidade nasceu com as famílias, uma após as outras, que chegaram com suas ambições e objetivos. 
As casas surgiram umas próximas das outras, estabelecimentos comerciais variados e assim ocuparam, gradativamente, o traçado do quadro urbano, periferia, sítios e fazendas do Município de Campo Mourão - PR. 

 

1938 - Família de Eugênio Zaleski, topógrafo de grande habilidade,  que traçou o quadro urbano de Campo Mourão e construiu o Hotel Central - o primeiro da cidade.

Antes, a região hoje ocupada por Campo Mourão era um imenso descampado cercado por florestas de pinheiros, madeiras de lei, palmitos e mata atlântica, onde havia milhares de selvícolas caingangues, remanescentes guaranis. No meio das florestas existia um extenso cerrado de vegetação baixa, muitas árvores típicas, frutas, aves e animais silvestres.

 

1910 - As matas e campos deram lugar às casas, a agricultura e negócios. O Picadão de Pitanga a Campo Mourão aberto sobre a trilha do Pe abe y u, foi utilizado por Jozé Luis Pereira, pelo qual também veio a maioria dos pioneiros com seus animais, carroças e carros-de-bois. Derrubaram, queimaram as matas, plantaram as primeiras roças e iniciaram as criações de porcos e bovinos, a princípio para suas subsistências, e à medida que derrubavam a floresta, queimavam e alargavam as terras cultivadas, vendiam ou barganhavam o excedente por outras mercadorias necessárias (sal, ferramentas, tecidos, pólvora, chumbo, arreios, etc.) em Guarapuava e Pitanga, posteriormente em Apucarana.


Galeria de Fotos e Fatos de Campo Mourão

    
Anos 40 - Nesta parte do Cerrado nasceu a cidade de Campo Mourão 
onde havia centenas de palmeirinhas, pitangueiras, gabirobeiras 
e outras frutas nativas de baixo porte 
  
Plantas medicinais e uma variada fauna (extinta)
proliferava nos Campos do Mourão.
 
1772 - Nos Campos do Mourão surgiu Campo Mourão

   
1897 - De Ilha Grande - SP a Campo Mourão - PR
a cavalo e carros-de-bois.

 
1903 - Travessia do Rio do Campo
na chegada dos Pereira a Campo Mourão
 
1903 – Primeira tapera dos Pereira no Jd. Sta Cruz
1905 - Caçada de veados em Campo Mourão

 
1905 - Maria do Carmo é nome de Escola no Jd Paulista de Campo Mourão. Mãe de 21 filhos. Sobreviveram 13: José Martins, João Pereira, Ana Luiza, Odorico Pereira, Joaquim Viana, Salvador Pereira, Maria Pereira do Belém, Leodina Luiza e Deolinda Luiza Pereira.

 
1906 -  início da abertura da Estrada Boiadeira 
  
1906 - Início da abertura da Boiadeira,
trecho em Campo Mourão.
 
1908 - Comitiva e cargueiros atravessam 
o Cerrado de Campo Mourão.
 
1908 - Campo Mourão: João Rodrigues Monteiro (João Bento) em seu burro marchador e Carlos Alberto Coelho Jr. em seu cavalo branco. Ambos trabalharam na abertura da Boiadeira. O engenheiro Carlos Jr, também era fotógrafo e registrou as primeiras imagens do cerrado onde despontou a cidade de Campo Mourão. Esta residência ficava onde hoje está o Parque Municipal Joaquim Teodoro de Oliveira.

 
1910 - Um dos principais meios de transporte 
em Campo Mourão.
   
1915 - O Russo e Nha Dona, 
casal pioneiro de Campo Mourão

 
1930-Campo Mourão só a pé, a cavalo, carroça e carro-de-bois.  
1935 - Família de Francisco Walter,
primogênito de Jorge Walter.

1940 - Atual Praça Getúlio Vargas de Campo Mourão.
Antes de 1954 era Praça 10 de Outubro.

 
1918 Muito usado pelos pioneiros de Campo Mourão
1920 A energia do monjolo era gerada pela 
água abundante em Campo Mourão
1915 - Miguel Luiz Pereira em Campo Mourão
 
1937 Segunda residência dos Albuquerque em C. Mourão. 
A primeira aparece lá no fundo. 
 
1930 - Região do Campo Bandeira aberta por Ananias Pereira
 
1930 - Campo Bandeira região do Barreiro das Frutas

1940 - Pedra fundamental da Igreja de São José 
ao lado da Raia dos Porungos - Campo Mourão.
 
1940 - Ao fundo o novo armazém de Francisco Albuquerque
 esquina da Av Indio Bandeira com a rua que leva seu nome.
 
1942/50 
Abertura de vias públicas em Campo Mourão
 

 
1941 - Construção da Igreja de São José de Campo Mourão,
pelo primeiro padre Aloysio Jacobi que veio em 20 de abril de 1938

 
1942-8-dez, criada a Paróquia de São José em Campo Mourão e nomeado primeiro vigário Pe. Aloysio Jacobi e Pe. Humberto Frisch coadjutor.

 
1943 - Igreja paroquial de São José toda de madeira.
No mesmo local está a Catedral de Campo Mourão.

 
1945 - O Bosque das Copaíbas era o point de Campo Mourão
  
1945 - Teodoro Metchko fez quase de tudo em Campo Mourão
 
1945 - Av Cap Indio Bandeira, o Bosque, a praça era campo de futebol. Onde está a bandeira, hoje está o Colégio Santa Cruz.
1946 - Expresso Oeste, de Elias Xavier do Rego
que deu origem ao Expresso Nordeste de Campo Mourão
1947 - Campo Mourão foi emancipado de Pitanga- PR
1947 - 10 de Out - Gov Moisés Lupion 
oficializou a emancipação de Campo Mourão

1947 - Posse do prefeito Pedro Viriato de Souza Filho 
e dos primeiros vereadores de Campo Mourão.
 
1947 - Prefeitura/Escola de Campo Mourão - PR

 
1947 - 5 - Dez: primeiro desfile escolar em Campo Mourão. 
Ao fundo a casa da Prefeitura/Escola na Av. Índio Bandeira

 
1947 - Hotel Central, o primeiro de Campo Mourão, 
construído, todo em madeira, por Eugênio Zaléski.

 
1947 - Pedro Viriato de Souza Filho primeiro prefeito eleito de Campo Mourão cumprimentado pelo governador Lupion.
 
1947 – Peças de Jeep, Com. de Jamil Jacob, 
e a Ferraria de Alexandre Tamporoski e Gurginski.

 
1949 - Posto de gasolina do Zé Mineiro
Av Indio Bandeira X R. Harrison J. Borges onde está o Ed. Likes

  
Serraria adquirida por João Baptista Perdoncini
na sua chegada a Campo Mourão

1949 - Wassilio e Nicolau Boiko. 
O Expresso Nordeste começou com duas jardineiras 


1949 - Posto de Saúde e Higiene de Campo Mourão - PR
Atual Museu Municipal

1949 - Nessa eleição venceu Bento Munhoz da Rocha, 
mas Lupion ganhou em Campo Mourão.

 
1950 – Campanha de Lupion à reeleição. 
No centro Francisco Albuquerque, ao lado o candidato a deputado Angelo Lopes e o prefeito Devete de Paula Xavier.

 
1950 - Posto de Saúde e Higiene 
Av. Índio Bandeira X R. Francisco Albuquerque

 
1948 - Balsa Hilda - travessia do Rio Ivaí.
No início era um veículo por vez.
  
 

1949/55 – “No Porto Metrópole, a Balsa Hilda era propriedade de Dário Munin, casado com minha tia Érica Zerede, famosa cabeleireira em Campo Mourão. Ele era madeireiro em Peabiru e emprestou o nome à embarcação fluvial em homenagem à sua filha Hilda Munin, esposa do advogado Francisco Irineu Brzezinski", registrou Jurandir Zerede.

 
1949 - Trecho da Av Cap Índio Bandeira - Campo Mourão


 
1951 - Av Irmãos Pereira de Campo Mourão

1951 - Casa da Família Trombini em Campo Mourão
R. Mato Grosso entre Avs. Irmãos Pereira e José C. de Oliveira

 

 
1955 - A Balsa Hilda já era maior,
 mas a tração continuava manual puxada por cabos de aço.

"Entre os anos de 1940 a meados de 1960, o caudaloso e piscoso Rio Ivaí tinha vários portos  com balsas de transposição do seu leito largo e profundo: Porto Fênix, Porto Bananeira e Porto Figueira, estes acima do Porto Metrópole que ligava Campo Mourão à Floresta e Maringá nos anos 50/60 e, outros tantos rio abaixo. Meu pai tinha um restaurante por ali e comecei trabalhar com balsa aos 17 anos.” (depoimento de Jurandir Zerede, 76, de família pioneira na região do Rio Ivaí, residente em Campo Mourão – PR). 
As pontes sobre o Ivaí começaram a ser construídas por volta de 1960. A primeira, toda de madeira no Porto Metrópole, que veio em substituição a Balsa Hilda, rodou na primeira grande enchente logo após a sua conclusão.

 
1950 - Gov. Lupion lança plano em Campo Mourão

1950 - Casa Iracema de Campo Mourão de Jocelin Cilião de Araújo
que depois, vendeu ao irmão Geremias Cilião de Araújo, 
que vendeu a Expedito Medeiros de Araujo

 
1950 - Aqui hoje tem o Moinho exportador de trigo 
que foi de Raimundo Spacki.
1950 – Procissão de S. José, Padroeiro de Campo Mourão

1950 – Aeroporto Cel. Geraldo Ghia de Aquino,
Campo Mourão - PR
1950 – Táxi aéreo da Brasil Organizações Aéreas (BOA) 
em Campo Mourão
 
1951 - Campo Mourão teve cinco companhias aéreas:
Real, Vasp, Cruzeiro do Sul, B.O.A e RETA

 
1951 - Residência da Família Zaléski
na saída de Campo Mourão a Roncador

1952 - Campo Mourão,  Av. Irmãos Pereira 
onde está o Itaú (fundos) 

1952 - Estrada que cortava a praça de Campo Mourão
trecho remanescente do Peaberu (caminho) 
 
1952 - Mr Forrest (centro) era famoso em Campo Mourão
por causa do seu avião Piper vermelho.


 
1952 - Av Irmãos Pereira e o posteamento para instalação da rede elétrica.
Os postes eram pinheiros farquejados (quadrados)

1953 - Rodoviária de Campo Mourão 
onde hoje está a Biblioteca Municipal

 
1953 - 1° ônibus do Expresso Nordeste C. Mourão a Goio Ere
na 1ª Estação Rodoviária de Campo Mourão.
  
1953 - Domingo de  missa na Igreja S. José, com chuva e barro.
Nota-se a Raia dos Porungos em diagonal na Pça de Campo Mourão.
Ao fundo a Av. Irmãos Pereira entre as ruas Brasil e Fco Albuquerque.

 
Campo Mourão era pó ou lama até 60/70
Na esquina a Casa Iracema e a casa de Antonio Teodoro de Oliveira

 
1953 – Ligação da energia elétrica gerada pela Usina Mourão

1953 - Deolindo Mendes Pereira 
e o Inst Sta Cruz de Campo Mourão 

1953 - Instituto Sta Cruz na R. Brasil X Av. Índio Bandeira, 
Campo Mourão - PR

1953 - A 'Voltinha' do Rio do Campo dava passagem, 
no tempo que não tinha ponte, a Campo Mourão 
1953 - Carnaval de Rua em Campo Mourão
Av. Capitão Índio Bandeira X Rua São Paulo
1953 - Clube da elite de Campo Mourão de memoráveis bailes.

1953 - Alfaitaria Sto. Antonio hoje é Magazine Sto Antonio

 
1953 - Neste local hoje está o Shopping Cidade  

 
1953 - Aqui se produzia a madeira roliça de pinho 
para a fabricação das camas patente, com molas, faixa azul 
 
1953 - Mesma praça, hoje Getúlio Vargas 

 
1954 - Centro de Campo Mourão: Instituto Santa Cruz, Igreja Matriz, Casa Paroquial, Bar Estrela, Barbearia do Artêmio Bósio, Casa Guaíra e Casa Iracema.


1954 - Rua Araruna X Av. Irmãos Pereira. Hotel Brasil e o Armazém do Tico
Neste terreno hoje está o Shopping Cidade 
 1954 - Brasil Organização Aérea - BOA, em Campo Mourão


 
1954 - Farmácia América
na esquina da R. Brasil com Av. Índio Bandeira
Neste local está o Ed. Alvorada

 
1954 - Hotel Mundos.
Neste local atualmente tem lojas e Auto Escola Paris

 
1954 – Encontro da grande família Walter de Campo Mourão


1954 - Vôos diários de Campo Mourão a Curitiba


 
1955 Serraria Guarani de Belim Carollo 
em Campo Mourão

1955 Hotel Brasil na R. Araruna X Av. Irmãos Pereira 

 
1955 Hotel Ponto Chic de Campo Mourão
Era conhecido como hotel dos viajantes

 
1955 - Instituto Sta Cruz na Pça São José de Campo Mourão

Primeira construção em alvenaria de Campo Mourão
Av Indio Bandeira X R. Francisco Albuquerque.

 
1955 - Domingo de Missa e Primeira Comunhão

  
1955 - Os Capuchinhos visitam Campo Mourão 

1955 - Jardineira do Ricardo da Viação Mourãoense

 
1955 - Casa Iracema, Pensão Bom Jesus, Hotel Central 
e a Bicicletaria e Alto Falante do Doni Leal.

1955 - Campo Mourão/Roncador/Pitanga.
Era mais barato viajar de avião.

 
1955 - Igreja Matriz de São José era toda de madeira de pinho
inclusive a cobertura. Ao lado uma ponta do Santa Cruz.

1956 - Pesquisa de solo em Campo Mourão
1956 - Prospecção de petróleo e gás em Campo Mourão


 
1956 - Celaria do Modesto, Bar Sao José, Açougue São Pedro, 
Salão Primavera e Relojoaria Confiança

 
1956 - Até hoje no mesmo endereço de Campo Mourão
na Av. Irmãos Pereira

1961 - Representantes de Campo Mourão junto a UPES

1961 - Viagem de Campo Mourão a Maringá
era no pó ou na lama


1963 - Ponto de Jeep no centro de Campo Mourão

1964 - Aniversário de Campo Mourão.
A praça S. José era estacionamento.

 
Associação Esportiva e Recreativa Mourãoense - AERM
primeiro clube de futebol profissional de Campo Mourão

1971 - As 4 principais avenidas de Campo Mourão

 
2001 - Vista panorâmica de Campo Mourão

 
2014 - Agosto: Florada de Ipês amarelos em Campo Mourão

 
2014 - Catedral e vista parcial de Campo Mourão 
 
2015-Jan - Florada de Ipê Roxo em Campo Mourão

 
2015-03-04- Paixão de Cristo 
na Praça São José de Campo Mourão.
 
2015 - Campo Mourão, sacerdotes: 
Wille, Broza, Chico Hernandes, Alexandre e Jonas Darc.




Abra as imagens em nova [] janela p/ ampliar