09/06/2011

Coamo de Campo Mourão nasceu assim...

 

A agricultura, em alta escala, começou incipiente em Campo Mourão, depois do império da madeira. Antes ninguém se importava em usufruir da terra. Apenas pequenos proprietário rurais plantavam culturas alimentares de subsistência básica. Os madeireiros adquiriam áreas enormes de matas nobres e pinheirais, abatiam, serravam, vendiam e abandonavam a terra.

1965 – Nesse período começou a rarear as árvores de corte e iniciaram-se os duros serviços de destocas, queimadas dos restos de matas, a tímida aração e o trato da terra que recebia os primeiros insumos e plantios de milho, trigo e soja, advindo, em seguida, os tratores e máquinas agrícolas financiados pelo governo federal através da carteira agrícola do Banco do Brasil.

Campo Mourão, Coamo nasceu numa meia-água

1970 - Os agricultores – a maioria ex madeireiros – tiveram resultados de grandes safras e dificuldade de comercializar suas colheitas Começaram a debater a questão crucial e em 1970, numa dessas reuniões, na meia-água de madeira em frente ao prédio dos Trombini (Auto Peças Mourão), cedida por Ivo Mário Trombini, na av Irmãos Pereira, ao lado da antiga Churrascaria Marabá, aprovaram a fundação de uma cooperativa agrícola, conforme seus interesses e necessidades de compras e vendas. Por alguns meses ficou ali.

 
Fundador e 1° Presidente da Coamo de Campo Mourão

Dia 28 de novembro de 1970, data oficial da fundação da Coamo - Cooperativa Agropecuária Mourãoense Ltda, Fioravente João Ferri e Gelindo Stefanuto foram eleitos, respectivamente: presidente e vice-presidente. Neste evento se filiaram 79 agricultores, e a empresa somou Cr$ 37.540,00 de capital inicial, conforme assembléia geral realizada na antiga sede da Associação Atlética Banco do Brasil (AABB) na rua Brasil, saída para o Barreiro das Frutas.

 
Sede atual da Coamo em Campo Mourão

1971 - Uma área foi adquirida perto onde está o prédio da COAMO. Ali se construiu um pequeno escritório, com não mais de 50 m2, onde a expansão começou. Os associados entregavam suas safras na Coamo a qual comercializava pelo maior preço. Pagava e, em 1971, distribuiu as primeiras sobras (lucros) aos associados, fato que acontece até hoje, anualmente.

1972 - Sempre com decisões coletivas – em assembleias – os associados aprovaram a construção do primeiro depósito de cereais da cooperativa.

1974 - Os dois primeiros entrepostos foram definidos e estruturados nas cidades de Mamborê e Engenheiro Beltrão. Neste ano, com o passamento de Fioravante João Ferri, assumiu o vice: Gelindo Stefanuto, até o término do mandato da primeira gestão.

1975 - Janeiro realizou-se a segunda eleição que escolheu José Aroldo Gallassini, presidente até hoje, por reeleições consecutivas. O vice foi Getulio Ferrari e depois Sérgio Luis Pancéri (ambos falecidos). Foi neste ano que a Coamo incrementou a Fazenda Experimental, a loja de peças, insumos e o moinho de trigo.


 
Complexo agroindustrial da Coamo em Campo Mourão
próximo a Usina Mourão

1980 – A partir dos anos 80 a Coamo começou a mplantar o Complexo Agroindustrial, com o funcionamento de várias indústrias: de fiação, produção de óleo e farelo de soja, e a de margarina inaugurada em 2000.

Galassini presidente da Coamo de Campo Mourão e dirigentes

2000 - Os entrepostos se espalharam rapidamente em quase todos municípios da região de Campo Mourão e principais centros agrícolas do Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul. Está instalado no Porto Dom Pedro II, em Paranaguá, o terminal de exportações da Coamo, que chegou ao pico de ‘a maior cooperativa do gênero na América do Sul’, graças a união dos cooperados e visão da equipe de diretores.

Paranaguá Coamo de Campo Mourão presente