10/05/2011

Contestado - Guerra em Versos e Fotos



GUERRA DO CONTESTADO - 1912/1916

Uma injustiça colossal, 20 mil serão massacrados.
As oligarquias no mal, se excedem por todos lados.
Com os maiores terrores, por lucro e todo o fingir.
Terra rica de madeira, e a nova Ferrovia valorizou.
Do Sertanejo gente ordeira, governo não legalizou.
São incômodos e horrores, que não podem ficar ali.

Contestado os Trabalhadores, sua terra pra produzir.
O Poder vai atitude tomar, limpar área na repressão.
E aos camponeses expulsar, o povo nativo da região.
Foram os desbravadores, mais seriam expulsos dali.
Pregavam boa vontade, mas o Governo desentendia.
Igualitária Sociedade, o Poder entendia Monarquia.

Com seus sonhos e amores, mundo melhor construir.
Diferente José Maria, cada questão desembaraçava.
Ervas medicinais conhecia, e sobre tudo orientava.
Dos organizadores, Farmácia do povo fez construir
Zé Maria Comandava, nos apóstolos a referência.
Jesus que o inspirava, em Misericórdia e decência.

Todos irmãos cumpridores, e um caminho a seguir.
Momento de muita aflição, o governo já ameaçava.
Queria a desocupação, e o povo na justiça confiava.
O governo os via invasores, na força os fariam sair.
Reino do Céu que se queria, de partilha e comunhão.
Não tem nada de Monarquia, queriam plantar o chão.

A terra era seus amores, não podia deixar e partir.
Os peões não eram poucos, o Governo queria a terra.
Contra Bugres e Caboclos, o jeito foi fazer a guerra.
Gualberto e seus pendores, com sua firmeza a punir.
As terras foram tomadas, crime hediondo sem igual.
Não estavam regularizadas, pelo Governo Estadual.

O Governo viu provocadores, se saciou no reprimir.
Total desumanidade, tanto do Estado e do Federal.
Foi roubo e mortandade, foi uma crucificação geral.
E os camponeses e lavradores, por um melhor porvir.
E a mentira mais ordinária, usavam como Ideologia.
De Sociedade Igualitária, tem a ver com Monarquia.

Dois diferentes valores, eles igualavam pra mentir.
Brazil Railway americana, que a ferrovia construiu.
Ganhou um presente bacana, Terras que nem pediu.
Duas margens todos valores, 30 quilômetros pra si.
Tinha pobre branco posseiro, mestiço, indíos e negros.
Nosso Povo Brasileiro, por Justiça lutar sem medo.

Jesus e Maria de mentores, direito e amor redimir.
20 mil posseiros, 8 mil desempregados da ferrovia.
Era o Povo Brasileiro, abandonado na sua agonia.
Para enfrentar os dominadores, o povo vai se unir.

A Vida é uma passagem, e cada um faz um papel.
De aplicados na camaradagem, ou poderoso e cruel.
São os atores e os autores, interpretando o existir.
Contestado, Deixe  o Trabalhador Produzir.


Coletânea de Imagens do Contestado - resolução 3000 x 2000
 



Azuir Filho e Turmas do Do Social da Unicamp e,
Amigos, de: Rocha Miranda, Rio, RJ e, de Mosqueiro, Belém, PA.