28/04/2011

Nelson Bittencourt Prado descreveu CM assim...





Nelson Bittencourt Prado, primeiro advogado  e proprietário do primeiro jornal de Campo Mourão foi o primeiro garimpador no resgate da História Mourãoense. Seu sonho era construir o Museu de Campo Mourão. Faleceu e seu precioso acervo documental, simplesmente desapareceu e perdeu-se o maior filão histórico da região.
Sua residência, escritório e redação eram na rua Araruna, em frente ao portão grande do pátio do Colégio Vicentino Santa Cruz - Campo Mourão.

Dos seus muitos escritos, dois originais estão aqui, sobre o novo despertar de Campo Mourão.


Os dois escritos narram os mesmos fatos e pioneiros, mas ele fez e refez o texto e acrescentou detalhes importantes da História de Campo Mourão, a partir de 1939/1940


Vejamos as transcrições feitas aqui:

Daí em diante até o ano de 1.940, relativamente pouco progresso teve
Campo Mourão, e começando então a acordar-se novamente em o ano acima,
quando o Governador do Estado ordenou ao Engenheiro Sady Silva medir
o patrimônio da vila de Campo Mourão, onde já existia carta medição
para o mesmo feita pelo Snr. Feitósa. Antes já havia uma pequena vi-
la em outro local que ficou abandonada. Nessa época é que começou o
povoamento efetivo, tanto no quadro urbano como no interior, pois ini-
ciou-se as medições de terras e Colonização; mandou-se logo edificar
a Cadêia Pùblica, uma Escola, com auxílio do povo e no meio da praça foi
feito um poço que perdura até o dia de hoje com muita serventia. Os
primeiros moradores que vieram de fora foram: João Schner, professor Es-
tadual, Jocelin Araújo, primeiro comerciante na praça, cuja casa foi deno-
minada IRACEMA, e inaugurada em 6-6-41. O construtor dessas casas foi o
Snr. Benedito Lisboa, conhecido pela alcunha de VIVI, que também fez uma
Casa para si, vendendo logo em seguida para o Snr, Escrivão de Paz Lau-
rindo Borges. Por esse tempo estabeleceu-se no patrimônio a primeira
hospedagem do Snr. Sebastião Ribeiro. Em 1.943 o Padre Aluisio iniciou os
trabalhos de construção da Igreja Paroquial, auxiliado pelo povo em geral;
no mesmo ano uma igreja dos Adventistas doSetimo Dia foi igualmente e-
regida, bem como outra da Congregação Cristã do Brasil. As autoridades
Policiais desde 1.934, foram os seguintes cidadãos: como sub-delegado, Ave-
lino Élan, Eduardo Gulóski, Joaquim Teodoro, Teodoro Metchko, Cezario Rosa,
Investigador Policial, Generoso Nascimento, Guarda Fiscal da Guarda Civil
da Capital, Lazaro Mendes, investigador policial que com a elevação do dis-
trito á município, passou a ser o primeiro Delegado de Campo Mourão e atu-
almente o Snr. Renato Romeiro de Mello Pinto. Junto ao Snr. João Schner
licionou da. Elvira, da. Inês, e em 1.945 da. Eulália de Carneiro Campos
e da. Isaura Gomes, até a bem pouco tempo. Médicos da Colônia foram: Der-
bus Zola e hoje Daniel Portela; Diretores da Colônia o primeiro foi o Sr.
Julio Regis, depois Luiz Sodré e atualmente Teófilo Waku. As primeiras
Industrias em 1.939 foi instalada a Fabrica de Cachaça do Pedro Mendes
de Oliveira e outra de João Xavier Padilha, Engenhos para rapadura etc.
A primeira Industria de vulto que foi eregida em território de Campo Mou-
(rão foi a do snr ALLICA na colonia mamburê).



NR.....segue documento 2, com algumas correções feitas pelo Dr. Nelson:


Padre Aluizio iniciou os trabalhos da construção da Igreja Paroquial,
auxiliado pelo povo em geral ; no mesmo ano uma Igreja dos Adventistas
do Sétimo Dia foi igualmente eregida, bem como outra da Congregação
Cristã do Brasil. As autoridades Judiciárias desde a instalação do
distrito Judiciário em 1.921 até o presente são: Juizes de Paz, Gui-
lherme de Paula Xavier, Miguel Custódio, Ernésto Martins Tavares, Fran-
cisco da Rocha Walter, Antonio Camilo de Moraes, José Teodoro de Olivei-
veira, João Xavíer Padilha, Alfredo Senger, Miguel Scharan, e finalmente o
cidadão José Antonio dos Santos, Juiz de Paz em exercício no cargo de
Juiz de Direito da Comarca. As autoridades Policiais foram as seguin-
tes desde 1.934: Sub-delegado Avelino Elano, Eduardo Galóaki, Joaquim
Teodoro de Oliveira, Teodoro Mectko, Cezario Rosa, investigador da Poli-
cia Civil, Generoso Nascimento, Fiscal da Guarda Civil da Capital, Lazã-
ro Mendes, Investigador Policial que com a elevação do município a Comar-
ca foi o primeiro Delegado de Policia de Campo Mourão e atualmente Re-
nato Romeiro Pinto de Mello. Os escrivães distritoso, que serviram nes-
te distrito foram os cidadãos: Joaquim Pereira Vitor, Tiburcio Batsita
de Oliveira, Olegário Caldeira Filho, João de Paula Pereira, Laurindo Bór-
ges, Paulo Stenguch, Euclides Lima Crosséti e finalmente o atual Ar-
tur Moreira de Castilho, atual Escrivão do Crime, Registro Civil e Anexos.
A Coletoria de Campo Mourão, foi creada pelo decreto de 17 de março n°
319, sendo seu primeiro coletor de Rendas Murici Marinho da Rocha, remo-
vido para Laranjeiras do Sul, tendo sido substituído por Heleno Rosa,
que por sua vez foi substituído por Gordiano de Castro, sendo atualmen-
te transferido para outra localidade, vindo em seu logar Leniro Linhares,
que perdura até o presente. Em 1.945 quando da abertura da Escola Públi-
ca da sede do município, digo, distrito, além de João Schner, licionaram tam-
bem as seguintes Professoras da. Elvira, da. Ignês prosseguindo como profes-
sora Da. Eulália Carneiro de Campos, efetivada no cargo como professora do
Estado desde 1.918, a qual é filha legitima de Evaristo Antunes Carneiro
Antigo Professor do Distrito de Palmeirinha, Guarapuava, com Da. Braziliana
Moreira de Campos. Médicos da Colônia Mourão: Delbus Zola, e hoje Dr. Da-
niel Portella. Diretores da Colônia: o primeiro foi Julio Régis, depois o
.....


Nelson Bittencourt Prado na posse do amigo Elias Faraht,  no Ibra em Curitiba