16/03/2011

CAMPO MOURÃO - Passo a Passo

Campo Mourão passo a passo.

Poucos sabem, mas a história de Campo Mourão se confunde com o próprio “descobrimento” da América em 1492 e do Brasil em 1500.
O mesmo campo – região de cerrado - que existe há milhões de  anos no continente Sulamericano também já existia. Nestes campos havia plantas, índios e animais que viviam harmoniosamente com as matas, florestas, rios e acidentes geográficos, filhos da pura e imaculada Mãe Natureza.
Aí chegaram os “civilizados” por volta de 1500 e, em nome da ganância e da vaidade, acabaram com os  “não civilizados” e com tudo de puro e belo que por aqui existia, isso tudo em exatos 53 anos (1947-2000), exaurindo as riquezas e a terra da região Centro-Oeste do Paraná.
A Mãe Natureza reagiu, agrediu, lutou para sobreviver, mas foi tudo em vão contra a fúria do bicho homem, que continua a massacrá-la em nome do “progresso” e  do  “bem estar” da raça...Até quando?...Até que o lobo “devore” o próprio lobo!!

Mas falemos de história. De registros!!!

1524: O portugês Alejo Garcia - homem branco – junto com  mais cinco companheiros e centenas de índios carijós, partiram da Ilha de Santa Catarina passaram por esta  região em busca do “el dorado” Inca.
Trilharam um dos troncos do milenar Caminho do Peaberu e chegaram aos Andes. Em seu retorno, com 25 quilos de ouro, Garcia foi morto próximo a Assuncion (Paraguay), na atual cidade de Garcia Corá.
1541: O espamhol Alvar Nuñes Cabezza de Vacca aportou em Santa Catarina, cruzou a região dos Campos e as terras da Nação Guarani, até Assuncion, onde assumiu o cargo de  Adelantado da Coroa espanhola, na sede da Província del Guairá. Veio escoltado por um pequeno exército de arcabuzeiros (atiradores) e dezenas de cavalos.
1570: Depois das fundações de Ontiveros (Foz do Iguaçu) e Ciudad Real (Guaíra), o espanhol Ruy Diaz de Melgarejo construiu a primeira fundação da Vila Rica do Espirito Santo, bem como o Tambo das Minas de Ferro (Nova Cantú), próxima as nascentes do rio Piquirí.
1575: Ruy Diaz de Gusmann transferiu a sede da Vila Rica do Espírito Santo (segunda fundação) (Fênix) para a foz do Rio Corumbataí, afluente do Ivaí surgindo aí as primeiras referências sobre a região dos Campos (Campo Mourão) onde, diziam os jesuítas “habitavam índios ferozes e carniceiros”, mesmo sem nunca se ter provado que os Guaranis praticavam a antropofagia.
1600: Chegada dos padres jesuítas da Companhia de Jesus à Província del Guairá – formada por 12 povoações dentro dos limites dos rios Paranapanema, Iguaçu, Paraná e Tibagi – para “converter”, batizar e casar os índios, formando as famosas “reduções jesuíticas”.
1630: Ataque maciço dos bandeirantes portugueses, liderados por Manuel Preto e depois Antonio Raposo Tavares que, em menos de dois anos de saques e massacres sanguinários contra índios,  padres e espanhóis, destruíram e queimaram a Vila Rica do Espírito Santo.
1775 - Reconhecimento da região dos Campos, determinado pelo capitão Afonso Botelho de Sampaio e Souza a mando do governador da Província de Piratininga (São Paulo/Paraná), Dom Luiz Antônio de Souza Botelho e Mourão, em homenagem ao qual veio a denominação de Campos do Mourão. Esta expedição foi comandada por Estevão Ribeiro Baião e Francisco Lopes da Silva, oriundos da Vila de  Coretyba e São José dos Pinhais.
1893 - Requerimento de posses de terra por guarapuavanos, datado em 25 de setembro, a maioria tropeiros, na região dos Campos do Mourão, local que servia de ponto de pouso para as boiadas tocadas até o sul de Mato Grosso.
1903 - Chega e fixa-se na região do  Santa Cruz, nos Campos do Mourão, no dia 16 de setembro, a família Pereira, liderada pelo paulista José Luiz Pereira, que partiu de Ilha Grande (SP) em  1897 em carros de bois trazendo em sua companhia a mulher, filhos e a mãe (viúva).
1908 - Abertura da primeira estrada  (picadão sobre o Caminho do Peaberu – hoje BR-158) de Guarapuava aos Campos do Mourão, seguindo até Mato Grosso do Sul  (Estrada Boiadeira).
1919 - Foi implantada a primeira empresa de comércio, produção e exportação de erva-mate (ALICA), que montou um barracão na atual de Mamborê. Neste mesmo ano a empresa Weiss de Engenharia abriu uma picada entre Campo Mourão/Rio Ivaí (Rodovia Avelino Piacentini).
1920 - Abertura do traçado de Reserva aos Campos do Mourão (BR-487) que hoje liga a região Centro-Oeste  às cidades de  Pitanga, Guarapuava, Ponta Grossa e Curitiba.
1925 - Demarcação do patrimônio dos Campos do Mourão, pertencente ao município de Guarapuava, com o título de domínio da área expedido em 14 de agosto de 1926..
1934 – O governo do Estado nomeou e designou o casal de professores  Benjamim Cardoso Teixeira e Alvina Walter Teixeira para darem aulas primárias na sede dos Campos do Mourão.
1939 - Instalaram-se aqui as primeiras fábricas (destilarias) de cachaça, melado, açúcar mascavo e rapadura. Nesta época a rapadura era usada como “moeda de troca” nas barganhas de mercadorias no comércio de Guarapuava. Também foi construída a primeira serraria de madeiras movida a água, que ainda existe do outro lado da Represa da Bica .
1940 - Dia 1° de setembro foi criado o Distrito Administrativo de Campo do Mourão pertencente ao Município de Pitanga e traçado o atual perímetro urbano. A primeira casa de madeira, coberta de taboinhas foi construída por Francisco Ferreira Albuquerque.
1941 - Foi aberta no dia 5 de junho a primeira casa comercial (Casa Iracema), na esquina da Avenida Irmãos Pereira com Rua Brasil, pelo pioneiro Jucelino Araújo, que depois vendeu ao seu irmão, Geremias Cilião de Araújo. Ao lado da Casa Iracema foi construída a Pensão Bom Jesus de Sebastião Ribeiro e a Sapataria Paulista de consertos de calçados. Do outro lado da esquina da Rua Brasil surgiu o casarão do Bar Estrela (sorveteria e restaurante) e o Açougue São Pedro de Pedro Gênero. Entre o bar e o açougue, existia a Selaria de Modesto Três, a Barbearia do Zézinho e mais tarde a Barbearia de Artemiro Bozzio,  acima da Casa Guaíra, na Rua Brasil.
1942: - Foi criada a Paróquia de São José, no dia 19 de março, e iniciada a construção da primeira igreja de madeira, coberta de lascas de pinheiro, onde hoje está a Catedral.
1943- Instala-se na cidade a primeira igreja evangélica: Adventista do Sétimo Dia e logo depois a Congregação Cristã do Brasil.
1945 - Fim da 2a  Guerra Mundial. O General Euríco Gaspar Dutra funda o PSD – Partido Social Democrático para concorrer com o PTB de Getúlio Vargas. Assume a presidência do PSD em Campo do Mourão, Francisco Ferreira Albuquerque e começa o movimento pela emancipação política e administrativa do então distrito mourãoense.
1947 - No dia 10 de outubro  o governador Moyses Lupion assinou o decreto 02/47, publicado no dia 11, criando o Município de Campo Mourão e, em seguida, nomeou o dentista José Antonio de Souza, prefeito provisório do novo território que compreendia os 25 municípios da Microrregião-12. A primeira primeira-dama,.
1947 - Dia 16 de novembro foi eleito prefeito, com 230 votos, o candidato único, Pedro Viriato de Souza Filho (PSD), empossado no dia 5 de dezembro pela primeira Câmara Municipal de Campo Mourão integrada por 10 vereadores, os quais  somaram 236 votos.
E... assim, Campo Mourão começou a 'caminhar'...

     
        1936 - Fracisco Ferreira Albuquerque e Família
na Lage Grande de Campo Mourão