17/05/2011

Luiziana ou Luiz e Ana - Histórico



Luiziana - PR

 
Bandeira e brasão de Luiziana - PR

1929 - Em meados do século XX  formou-se, por iniciativa governamental, um patrimônio agrícola durante a febre do cultivo de café, com distribuição de lotes variáveis de 10 a 300 alqueires, conforme os recursos dos posseiros na Gleba Muquilão. 
A maioria dos pioneiros eram oriundos do sul do Paraná e do Rio Grande do Sul além de alguns poucos mineiros e nordestinos que se instalaram na região e, assim, abriram um povoamento no território de Campo Mourão. 
A maior dificuldade, no início da colonização era a falta de estradas e de recursos básicos de sobrevivência. Quando chovia os moradores ficavam ilhados em seus ranchos. Os transportes só eram possíveis a cavalo e cargueiros de mulas.


1952 - Com aumento do número de famílias, que iam chegando à Luiziana, a colônia foi lentamente se adequando ás necessidade  gerais com a demarcação e titulação legal dos lotes agrícolas. Esta ação foi determinada pelo governador Moysés Wille Lupion e executada pela jovem Prefeitura de Campo Mourão (gestão Daniel Portela) que, paulatinamente, eliminou os grileiros e posseiros irregulares com as ações da Inspetoria Estadual de Terras, quando então, delimitou o perímetro urbano de Luiziania e traçou ruas e avenidas.

1965 - Dia 21 de setembro de 1965 o patrimônio de Luiziana foi elevado a Distrito Administrativo de Campo Mourão-PR, na gestão de Rosalino Salvadori, substituto do prefeito Milton Luiz Pereira.


Vista aérea de Luiziana - PR


 1987 - Por iniciativa do vereador Antonio Abrão dos Santos - na luta de um homem só - Luiziana conseguiu o estatus de município pela Lei  8594 firmada pelo governador Alvaro Dias que acatou o projeto legislativo da Deputada Estadual Amélia de Almeida Huruscka (Amelinha).


O Pai da Emancipação de Luiziana - PR

Sózinho - Quando Antonio Abrão dos Santos requereu, na Câmara Municipal de Campo Mourão, a emancipação do Distrito de Luiziana, do qual era representante, o projeto foi rejeitado inclusive pelo vereador Nelson José Tureck do mesmo Distrito, pelo prefeito José Pochapski e pelo deputado estadual Rubens Bueno.
Antonio Abrão dos Santos precisava apenas das certidões negativas ou positivas da Câmara e da Prefeitura de Campo Mourão que comprovariam o seu requerimento. Mas lhe foram negadas.

 
Amélia de Almeida Hruschka acreditou em Luiziana

Sem esmorecer em momento algum recorreu à deputada Amelinha que convenceu a Assembléia Legislativa do Paraná e conseguiu a aprovação contra a vontade politica de Campo Mourão. Antes da aprovação da Lei um Plebiscito foi realizado e o povo aprovou a sua independência política, administrativa e sócio-econômica.

Traído - O candidato natural e por méritos a primeiro prefeito de Luiziana era Antonio Abrão dos Santos, mas Nelson José Tureck com apoio de um grupo de altas posses pleiteou a candidatura de prefeito. Antonio Abrão convocou uma reunião conciliatória e democraticamente propôs candidatura única "a fim de que nosso Município não comece rachado". Disse: 'abro mão da minha candidatura a favor do Nelson desde que, na sucessão dele, me apoiem a prefeito'. Todos os presentes concordaram.
Mas, na eleição seguinte, o prefeito lançou seu vice, Santo Monegat a prefeito. Traíram a confiança de Abrão que apenas fez parte da primeira legislatura de Luiziana. Desgostoso mudou-se a Campo Mourão, depois a Iretama onde faleceu sem nenhum reconhecimento ou homenagem por parte do Município que o bom mineiro de Malacacheta criou sozinho. 


Luiziana - seis eleições e quatro prefeitos

Origem - O pioneiro Adaucto da Silva Rocha (nome do Colégio de Luiziana) que nunca foi professor, é tido como fundador de Luiziana (Terra ou lugar de Luíza) e batizou o local com este nome em homenagem à sua mãe Luíza e à filha Maria Luíza.

Luiziana - cidade extremamente simplória. Possui muitas igrejas e bares. Considerada por alguns como o município mais pobre da região. Se localiza entre Campo Mourão e Pitanga

Lenda - Os antigos contavam que dois jovens - Luiz e Ana - eram apaixonados, mas impedidos pelos pais de se casarem. A la Romeu e Julieta namoravam escondidos pelas matas da Lagoa Preta (favela urbana) e foram flagrados pelo pai da moça que os jurou de morte. Fugiram da ira do pai raivoso, desapareceram e ninguém mais soube deles, se casaram ou morreram no sertão bruto.

 
Em Luiziana tem...



Em evolução

Eventos festivosAniversário do município, 25 de Setembro. Festa da padroeira Nossa Senhora Aparecida, 12 de outubro. Cavalgada do Descobrimento em abril. Festa do Costelão, agosto. Procissão de Sant'Ana em agosto. Festival de Fanfarras, setembro e a Cavalgada Ecológica, também em setembro.

Cavalgada Ecológica - Luiziana-PR

Distâncias: De Curitiba, 430 km e de Campo Mourão, 35 km, ambas pela BR-487.

Hidrografia: Luiziana é banhada pelos rios: Sem Passo que abastece a represa da Usina Mourão. Formoso, da Várzea, Chupador, Campina que também deságua na Usina Mourão. Lontra, Peixinho, Tricolor, do Leão e rio Herveira, todos com belos saltos e cachoeiras, com enorme potencial eco-turístico ainda não praticado.



 
Salto no Rio Campina - Luiziana


Produção de mudas de árvores e flores em Luiziana

Viveiro Municipal - Localizado na saída à Valinhos, produz mudas de espécies nativas destinadas ao reflorestamento das margens e nascentes dos rios, além de mudas de espécies exóticas e ornamentais, que são plantadas nos logradouros públicos da cidade. Também produz mudas de café.



Igrejas católicas: Matriz Nossa Senhora Aparecida e a Católica Brasileira.
Igrejas evangélicas: Assembléia de Deus, Presbiteriana Renovada, Pentecostal o Brasil para Cristo, Deus e Amor, Metodista, Quadrangular e a Congregação Cristã no Brasil.





Luiziana tem uma dezena de rios, o maior número de cachoeiras no Paraná 
e grande potencial eco-turístico inexplorado

Emancipação - A solenidade de criação do Município de Luiziana deu-se no Palácio Iguaçu na primavera do dia  25 de setembro de 1987. 

Estação Ecológica - A reserva ecológica de Luiziana visa cuidar do ecossistema em locais naturais e fiscalizar a exploração destas áreas, dentro das normas estabelecidas pela administração municipal nos ditames de unidade de conservação municipal em área rural de proteção integral de Luiziana, aprovada pelo Decreto 441/09, de 23 de março de 2009. Para tanto,  adquiriu a área de preservação com 481 alqueires e a denominou: Estação Ecológica de Luiziana, que abrange em torno de 480 alqueires. 

Patrimônios - Luiziana tem sete vilas: Valinhos, Campina do Amoral, Klabin, Ponte Branca, Cava Funda, Bairro dos Inácios e Serra Molhada que, juntas, têm cerca de 500 habitantes enquanto o município todo conta com pouco mais de 7.300 habitantes (IBGE).

>clic nas imagens e amplie<